Categorias
Data Detox

Alternativas para o GMail

Encontrar um bom substituto para o GMail na verdade envolve encontrar três bons substitutos.

O seu endereço de e-mail é a sua identidade para os mais variados serviços digitais. No caso do Google, o GMail (serviço de e-mail da empresa) é tido como condição sine qua non para usufruir das benesses de Drive e Documentos, Photos, Agenda e tantos outros. Mas a verdade é que você não precisa necessariamente ter seu e-mail lá, podendo associar qualquer outro endereço e ainda assim usufruir da conta.

Se estamos buscando maneiras de frear o ímpeto das grandes empresas de tecnologia em avançar no acesso aos nossos dados, a escolha de um outro serviço de e-mail é um passo importante para diminuir o contato delas com, por exemplo, as suas compras em comércios eletrônicos, as atividades que você desenvolve em redes sociais e apps (que enviam relatórios diários, os famosos digests, que lotam qualquer caixa) e os boletos que você modernamente já recebe por meios digitais. Não é o único passo, mas é um esforço considerável e razoavelmente simples de ser feito. Seguimos assim na saga de diminuir o tamanho da conta Google.

Até imagino que este será um dos textos mais curtos já escritos neste blog.

GMail na verdade são três serviços bem úteis

Foto do símbolo @ - Alternativas para o Gmail

Encontrar um bom substituto para o GMail na verdade envolve encontrar três bons substitutos: é praticamente impensável desassociar e-mail de agenda de compromissos – podem ser serviços separados, mas devem conversar para você também controlar o calendário sem utilizar as mãããos – e da agenda de contatos – aqueles e-mails que você sempre envia e que devem permanecer a mão, e que no caso do Google ainda se misturam aos contatos telefônicos que você tem em sua agenda do celular – para quem já teve Android na vida.

Você pode encontrar serviços similares dentro do GAFAM: o serviço de e-mail e agendas da Microsoft é bem similar em funcionamento ao do Google. Há também uma sorte de e-mails gratuitos, mas a verdade é que todos eles sofrem do mesmo mal que estamos querendo nos livrar com a saída do GMail: essa mania de achar que podem bisbilhotar nossas mensagens privadas. Vocês não imaginam a minha decepção quando fui procurar meu e-mail da Universidade de São Paulo somente para constatar que ele também virou Google…

Mas sem mais delongas, vamos aos métodos, que vou separar por grau de dificuldade e/ou preço.

ProtonMail + Fruux ou Tutanota

Não há serviços de e-mail na Internet gratuitos e livres tão bacanas quanto o ProtonMail e o Tutanota. Excelentes e-mails, mensagens encriptadas no servidor, o que oferece alguma segurança em relação às mensagens que você envia (uma parte grande depende de quem recebe), mas boa segurança em relação às que você recebe. Na versão gratuita, há um espaço limitado e pequeno quando comparado ao GMail (500MB e 1GB respectivamente), mas suficiente para e-mails.

Ambos possuem apps para smartphones, espertos ambientes para navegador e também funcionam sincronizando com clients nativos como Outlook ou Mail, ou mesmo baixados, como o Thunderbird.

O Tutanota leva vantagem em relação aos serviços por já incluir calendário e agenda de contatos que sincronizam com qualquer dispositivo. O ProtonMail disponibiliza calendário a partir de sua versão paga e também possui outros serviços pagos muito interessantes para empresas e para quem busca mais segurança e privacidade, como seu próprio serviço de VPN. Mas em sua versão gratuita, é necessário trabalhar com outro serviço para realizar as ações de agendas. É aí que falamos um pouco sobre o Fruux.

O Fruux é uma solução que disponibiliza gratuitamente a sincronização de agenda e de contatos com seus dispositivos, através de protocolos chamados CalDAV e CardDAV. É um site gratuito, tem Google Analytics, coleta alguns poucos dados. Mas o principal dado, seus compromissos e seus contatos, ficam de fora. E eles aparentemente são proibidos por lei alemã, onde rodam, de montar o perfil de uso e comportamento sem estrita autorização do usuário. Quebra um galho. A única questão é que você vai precisar conectar essas pontas: a agenda de seu celular e de seu computador com o link CalDAV e CardDAV do Fruux para efetivamente ver os seus compromissos e utilizar a agenda de contatos.

Servidor próprio

Da mesma maneira que já falamos em soluções em servidor próprio quando destacamos alternativas ao Google Photos, voltamos a falar sobre algumas delas para e-mail, agenda e contatos.

Configurar um servidor de e-mails do zero é bem trabalhoso, é verdade. Mas plenamente possível. Há diversas soluções opensource que podem não ter aquele visual bonito e simples de um GMail em sua versão para navegadores, mas se integram a qualquer programa e dispositivo.

Dentro de servidores, se você possui um plano de hospedagem, em geral já há um serviço de e-mail pronto, com certas limitações, mas fácil de configurar e utilizar. É preciso, no entanto, ficar de olho nos termos de uso e política de privacidade do serviço para checar se há bisbilhotagem. De maneira geral, serviços como estes são bem mais limpos. É parte da solução que ando usando e o webmail não tem nem Analytics rodando.

Quanto a agenda e contatos – se não estiverem disponíveis nesse serviço – você pode utilizar o Fruux ou também utilizar alguma solução opensource que cataloga e disponibiliza os links CalDAV e CardDAV. Um exemplo: os já citados OwnCloud e NextCloud, que são um interessante canivete suíço de serviços. Só não possui um servidor próprio de e-mails, mas permite num único link você acessar agenda e contatos hospedados ali e um e-mail externo num mesmo ambiente web, além de se conectar com qualquer dispositivo que você possua.

De qualquer maneira, arduamente configurar serviços próprios possui um custo menor do que pagar qualquer serviço como Tutanota, ProtonMail, entre outros. Além de também possibilitar a utilização de qualquer domínio que você possua (seunome.com.br, por exemplo).

Outras soluções

Não cheguei a testar tudo, mas eis uma lista interessante de serviços de e-mail da Restore Privacy. Um detalhe que eles avisam, e eu acho importante enfatizar, é que bons serviços são sempre pagos: serviços gratuitos tendem a utilizar seus dados como mercadoria se não cobram nada. Não é o caso dos serviços gratuitos mencionados neste texto: eles tendem a não ser nada invasivos, mas oferecem pouco em suas versões gratuitas (exceto soluções para hospedar). O ideal seria você pagar, se puder e se gostar dos serviços. Somente com maior diversidade de empresas de tecnologia que poderemos ter alternativas para tanto controle das gigantes.

Mas eu também entendo a realidade financeira de um país tão desigual como o nosso. Assim, há possibilidades de experimentar, sim, alguns serviços excelentes sem começar a pagar. O ideal é sempre estar atento às letras miúdas de termos de uso e política de privacidade, seguindo sempre uma regra comum a elas: quanto mais longas forem, mais dados elas coletam.

Não esqueça do backup

Antes do adeus definitivo ao GMail, não esqueça que seus dados de lá podem ser baixados no serviço Takeout. Ele pega tudo o que estiver no servidor, então eu recomendo que você delete todas as pastas de e-mails que você não quer guardar, bem como a lixeira e a pasta de spam.

O arquivo é um gigantesco e único .mbox que pode ser importado para a maioria dos aplicativos de e-mail nativos dos computadores. Assim, você mantém este arquivo longe da Internet, mas acessível às suas buscas quando precisar. Outra solução é apenas guardar no seu serviço de backups (pode até mesmo ser Google Drive ou Dropbox, mas não esqueça de criptografar o arquivo antes, como expliquei rapidamente no texto sobre o Google Photos).

Fotos: Liam Truong no Unsplash e Onlineprinters no Unsplash.

Por Luiz Yassuda

Autor deste site. Diariamente comentando os absurdos cotidianos lá no Twitter (@luizyassuda) e eventualmente nos podcasts Mupoca e Braincast.